Pioneer A DuPont Business
Portugal | Select Your Location >

 

Corteva AgriscienceTM patrocina o 1º Congresso Ibérico do Milho

13/14 Fevereiro 2019

 

Mais informação:

www.anpromis.pt

 

Efeitos da profundidade dos sulcos no rendimento final na cultura do milho

03 de dezembro de 2018

 

Com a cada vez mais competitiva agricultura moderna, torna-se imperativo para os agricultores a obtenção de maior rendimento das culturas, sendo pela via da melhor gestão dos recursos ou pela via da evolução das técnicas culturais.

Nesse âmbito, o departamento Agronómico Pioneer, em permanente presença junto dos agricultores, tem vindo a identificar alguns dos aspetos menos positivos e possíveis de serem melhorados. Um dos pontos que a Pioneer vem reclamando desde há muito junto dos agricultores que regam por sulco, é a profundidade e a metodologia da realização desta técnica cultural. Assim, em parceria com a Escola Superior Agraria de Coimbra, a Pioneer estabeleceu um protocolo de colaboração, do qual resultou a elaboração de um estudo específico que teve como objectivo demonstrar alguns dos pontos a melhorar nas condições deste tipo de rega, seja no Vale do Mondego ou em qualquer outra zona de produção de milho.

A abertura dos sulcos demasiado profundos e de forma deficiente, pode diminuir com maior ou menor expressão os objetivos da cultura, ou seja a produção final. Podemos enumerar, sem ordem cronológica, alguns dos aspectos negativos tais como a perda antecipada da eficácia dos herbicidas, a destruição de parte das raízes do milho com o consequente aumento das doenças do sistema radicular, maior risco na acama pela raiz, entre outros. As consequências são normalmente mais graves quanto mais tardiamente se efectuar a abertura dos sulcos, pois coincidirá com o milho em estádios de desenvolvimento mais adiantados.

Os ensaios, realizados em 2016, na Quinta dos Torreões, Vale do Mondego (região onde predomina o sistema de rega por sulcos, teve como principal objectivo demonstrar a melhor metodologia na abertura dos sulcos a fim de tirar o maior partido desta necessidade. Foram ensaiadas 5 modalidades, nomeadamente, sem mobilização, sacha, sulco superficial (10 cm profundidade), sulco médio (15 cm profundidade) e sulco profundo (20 cm profundidade).

Em jeito de conclusão, o ensaio com um delineamento experimental rigoroso, permitiu comprovar que os sulcos superficiais relativamente às restantes modalidades podem acrescentar o seguinte:

1.- Melhoria “significativa da produção final” com um acréscimo que, neste caso, rondou os 7%. Este resultado é um bom indicador do efeito negativo que a maior profundidade da sacha e dos sulcos provoca, por destruição de grande parte do volume das raízes:

-Tanto maior quanto maior o estádio de desenvolvimento das plantas. 

-Tanto mais negativo, quanto maior for o stress em que as plantas se encontrem.

2.- Melhor controlo das infestantes, por melhor eficácia dos herbicidas aplicados. Redução em mais de 50% da superfície coberta por infestantes.

3.- Maior resistência dos caules à acama, por enraizamento mais consistente, por maior diâmetro médio dos caules e menor sensibilidade a doenças das folhas e do caule:

-A resistência à acama é superior, sendo em média 0,82kgf/planta, correspondendo em média a mais 43,4% da resistência mecânica. 

-Relativamente ao diâmetro médio dos caules, este é superior em 2,14 mm, correspondendo a um ganho de 10%.

A experimentação desenvolvida permitiu igualmente verificar que as condições de drenagem e de rega em função da profundidade dos sulcos deverão ter sempre em conta as características de drenagem interna do solo e os métodos de gestão da água adotados. Deste modo, procurou dar-se um contributo com relativa utilidade, para os agricultores que utilizam sistemas de rega por sulco ou que por necessidade efectuam sachas muito tardiamente. Para mais esclarecimentos, não hesite em contactar o assessor agronómico da sua zona.

(Trabalho desenvolvido durante o ano de 2016, no âmbito do estágio curricular de Diogo André Ferreira Vilão, aluno da Escola Superior Agrária de Coimbra, atualmente Técnico do Serviço Agronómico da Pioneer a trabalhar na Região dos Açores.)

 

Seguimento das culturas por satélite: supera os 20.000 hectares na Península Ibérica

13 de Setembro de 2018

Quando se aproxima o fim da campanha de 2018, os dados mais recentes registados pelo Serviço Agronómico da Pioneer indicam que a superfície monitorizada dentro do serviço de seguimento das culturas por satélite supera os 20.000 hectares na Península Ibérica, com mais de 1000 parcelas. Os proprietários dessas fazendas recebem relatórios semanais com imagens recentes de suas parcelas e com a estimativa das necessidades hídricas da sua cultura de milho, permitindo-lhes comprovar a uniformidade da cultura no conjunto da parcela, orientar a gestão da irrigação e, assim, melhorar a eficiência do uso dos recursos nas suas explorações, o que resulta numa melhoria da rentabilidade da exploração. Adicionalmente, em Huesca, Madrid e Guadalajara, está-se a trabalhar num programa piloto em que os dados de imagens de satélite são cruzados com dados meteorológicos, para a avaliação do crescimento e do desenvolvimento da cultura. Este serviço tornou-se uma fonte de informação altamente valorizada pelos agricultores em todas as áreas sendo, por isso, um dos mais procurados.

Além disso e acima de tudo, a nossa equipa de mais de 70 técnicos dispõem de acesso à aplicação da última geração para consulta a imagens recentes, e outras informações, permitindo-lhes ter uma outra perspetiva para aconselhar sobre o manuseamento das culturas durante as visitas de campo. Esta ferramenta permite seguir outras culturas, como girassol e colza, pelo que a nossa experiência nos permite utilizar as imagens de satélite para determinar o momento a partir do qual se procede à colheita, e identificar incidentes com esse outro ponto de vista, a vista de pássaro.

 Leia mais sobre seguimento das culturas por satélite....

 

 

 

AGROGLOBAL, 5 de setembro de 2018

Colóquio “AGRICULTURA DE PRECISÃO, UM IMPERATIVO PARA O SECTOR”

 

La jornada sobre Agricultura de Precisión liderada por Pioneer, contó con gran afluencia de público profesional que valoró muy positivamente el nivel técnico de las ponencias presentadas que, de modo muy resumido, trataron de los siguientes temas:

MIGUEL FREITAS

A Agricultura da Precisão propõe uma utilização mais racional dos recursos e conduz a um ecossistema inovador, que gera oportunidades de emprego para vários sectores e a possibilidade de empregabilidade e comprometimento de jovens profissionais, atraídos pelas novas tecnologias, permitindo ao mesmo tempo novas relações entre o sector público e o sector privado. A Agricultura de Precisão, procura transformar qualitativamente o sector em uníssono, independentemente da cultura ou do sistema de produção. Graças à sua natureza transversal, permite-nos lidar com todos os componentes dos sistemas agrícolas e combater a desertificação.

 

RICARDO BRAGA

Seguindo a tendência dos EUA, onde há uma crescente adoção das tecnologías relacionadas directamente com a Agricultura de Precisão, em Portugal há uma série de projetos piloto com anos de experiência. É o caso do projeto SMARTCROP Competitividade Sustentável, https://www.smartcrop.info/, que nos mostra o itinerário e as experiências de sucesso que levaram à adoção de tecnologias de Agricultura de Precisão em algumas explorações Portuguesas. Em Portugal, já passámos da fase de verificar que realmente funciona. O próximo desafio é a promoção e o incentivo à adopção destas tecnologias pela maioria dos agricultores.

 

FERNANDO SCARAMUZZA

A EEA Manfredi, do Instituto Nacional de Tecnologia Agrícola, na Argentina, trabalha entre outros temas no desenvolvimento de tecnologias de Agricultura de Precisão. A Agricultura da Precisão começou na Argentina em 1995 com a utilização de mapas de produtividade e com a prescrição de densidade de sementeira a taxa variável em milho.

Desde então, tem havido uma crescente adopção de todas as tecnologias e aplicações relacionadas com os sistemas agrícolas argentinos, especificamente mapeamento de rendimento e auto-condução, juntamente com outras tecnologias, como corte automático, sensores de azoto, imagens de satélite, e fertilização e pulverização à taxa variável, cuja adopção evoloiu significativamente nos últimos anos à medida que a fertilização e o controle de custos de produção se tornam mais necessários.

Rede Argentina de Agricultura de Precisão:

http://www.agriculturadeprecision.org/

FRANCISCO JAVIER

Na SERFICA, trabalham em Agricultura de Precisão desde 2009. Neste contexto, a fertilização e a densidade de sementeira à taxa variável em trigo, girassol e colza e a melhoria da gestão da rega em olivais, são as suas principais actividades.

Dentro da estrutura de custos de um sistema de produção agrícola, podemos controlar sobretudo os factores de produção como sementes, fertilizantes e água de rega. No caso dos fertilizantes podem alcançar-se poupanças até 20%, segundo a variabilidade da parcela, mediante a aplicação a doses variáveis. Da mesma forma, estão a ser realizadas experiências-piloto no uso de informações por teledetecção (drones e imagens de satélite) para a realização de colheitas selectivas e a segregação da produção.

Após as intervenções dos oradores, houve lugar a um interessante debate entre os assistentes e os distintos intervenientes. 

 

David Hula bate o seu próprio record mundial de produção de milho

Óptimos resultados dos híbridos de milho Pioneer®.

27/12/2017 

A Associação Nacional de Produtores de Milho dos Estados Unidos da América (NCGA) tornou público no passado dia 18 de Dezembro o resultado do concurso de produção de 2017, anunciando a vitória de David Hula. Com uma colheita de 542 bushels por acre a 16% de humidade (equivalente a 33.444 kg/ha a 14% de humidade, segundo os parâmetros europeus) o agricultor do estado da Virginia bateu o record, que ele mesmo ostentava desde 2015.

Para lograr este novo record, David Hula semeou P1197AM®, híbrido geneticamente modificado, cuja venda na Europa não está permitida pela actual legislação comunitária relativa aos OGM.

A NCGA distinguiu os agricultores que semearam híbridos Pioneer com 9 prémios nacionais e 191 estaduais!

"Quando se unem os nossos produtos de topo com o serviço dos técnicos da DuPont Pioneer não há limites para o que os agricultores possam atingir. Este novo record mundial da NCGA demonstra-o", comentou Judd O'Connor, director da DuPont Pioneer dos EUA.

Os produtos Pioneer marcaram a diferença no concurso deste ano, com mais de 7.56 tons do que qualquer outra marca concorrente. Os agricultores da Pioneer ganharam quase metade dos prémios estatais, o que confirma a liderança da marca. 

"Estamos orgulhosos do resultado dos nossos produtos", disse O'Connor. "Independentemente das práticas culturais, os produtos Pioneer demonstraram que possuem uma sólida base agronómica que lhes permite competir numa grande variedade de condições".

O NCGA Corn Yield Contest é um concurso anual nos Estados Unidos da América que decorre entre agricultores produtores de milho, com o objectivo de capitalizar o alto potencial de rendimento genético dos híbridos de milho actuais. Também fomenta o desenvolvimento de práticas de gestão sustentáveis e inovadoras que resultem em maiores rendimentos.

DuPont Pioneer é a líder mundial em desenvolvimento e fornecimento de plantas geneticamente avançadas, proporcionando sementes de alta qualidade a agricultores de mais de 90 países. A Pioneer oferece apoio agronómico e serviços para ajudar a incrementar a produtividade e rentabilidade dos agricultores, esforçando-se ao mesmo tempo em desenvolver técnicas agrícolas sustentáveis para a população mundial. Ciência e Serviços para o Êxito®.

 

Links de interesse:

www.pioneer.com/ncga.

www.ncga.com.

 

Mais de 800 agricultores no II Fórum Pioneer de Milho do Centro e Sul

 

8 de Novembro de 2017

Procedentes das principais zonas produtoras de milho de Portugal, hoje reuniram-se no CNEMA, em Santarém, mais de 800 profissionais da cultura do milho para assistir ao II Fórum que a DuPont Pioneer dedicou aquele que é um dos principais cultivos em Portugal, e especialmente no Centro e Sul.

A jornada, que teve como lema “Pensando a na agricultura do futuro”, desenvolveu-se ao redor de dois eixos principais: melhoria genética e protecção de plantas, e agricultura de precisão, respectivamente temas capitais na agricultura actual e dos próximos anos, sobre os quais interviram distintos palestrantes procedentes tanto do mundo universitário, como da empresa, moderados pelo doutorados Bemvindo Maçãs, do INIAV, e Ricardo Braga, da Universidade de Lisboa.

A jornada organizada pela Pioneer, contou com a colaboração de outras empresas do sector como a Hidrosoph, Forte, Tecniferti, Lagoalva e Deutsche Leasing.

 

 

Fórum Pioneer em Vila do Conde

 

Com a presença de mais de 300 agricultores do Norte, celebrou-se em Vila do Conde o Fórum Pioneer Portugal deste ano, numa parcela de 10 ha. Contou com 3 pontos de informação: um dedicado a novos híbridos de milho, incluindo o seguimento da cultura por satélite, outro dedicado à nutrição animal e finalmente o terceiro dedicado ao desenvolvimento radicular e densidade de sementeira. Os profissionais assistentes tiveram oportunidade de conhecer 19 híbridos de milho, bem como outras culturas alternativas adequadas à região (luzerna, sorgo e girassol), e detiveram-se especialmente nas variedades P1535 (ciclo 600), P1063 (ciclo 500) e P9911 (ciclo 300).

 

 

Grande sucesso em Idanha-a-Nova com Sorgo Forragem PR849F

 

Produção de Sorgo Forragem PR849F, na Exploração de Augusto Frederico Vaz Monteiro, em Idanha-a-Nova.Uma solução para alimentar os seus animais (vacas de campo), numa zona em que não é possível ter alimento disponível no campo em algumas épocas do ano.

 

 

A identificação dos produtos é uma tarefa fundamental

 

Muitas vezes, próximo das estradas que percorremos encontramos campos identificados com as culturas e variedades semeadas. Na Pioneer, este trabalho é de extrema importância para os agricultores, onde podem encontrar uma valiosa fonte de informação podendo ajudá-los a tomar as suas próprias decisões de sementeira. Seguem alguns exemplos de boas identificações de variedades no campo:

 

 

32.700 kg/ha: novo record mundial de produção de milho

 

No último concurso da Associação Nacional de Produtores de Milho (NCGA) dos Estados Unidos, David Hula agricultor de Charles City, Virginia, bateu o record mundial de produção com a variedade P1197AM®, da Pioneer. David superou o anterior record (estabelecido com 31 t/ha) em mais de 1.700 kg/ha. Esta é a terceira vez que David consegue bater o récord de produção semeando híbridos Pioneer.

®YieldGard e Roundupready são marcas registadas da Monsanto. Herculex é marca registada da Dow Agrosciences. Liberty Link é marca registada da Bayer.

 
5748C966-6216-CCAC-4029-CCCE99D90B6E